MÉTRICA

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Z

Contador de Visitas

Na Internet desde 2005.
mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterToday174
mod_vvisit_counterYesterday10317
mod_vvisit_counterThis week57195
mod_vvisit_counterLast week54186
mod_vvisit_counterThis month193734
mod_vvisit_counterLast month293126
mod_vvisit_counterAll days13765219

We have: 58 guests, 15 bots online
Your IP: 54.161.191.254
 , 
Today: Out 25, 2014
Nº de colaboradores: 178

Estatísticas

Há 1609 verbetes publicados

MÉTRICA

Disciplina que busca estabelecer as normas da versificação tradicional, fixando as regras pelas quais deve reger-se o verso. Assim,  a medida e o ritmo dos versos são determinados por um sistema de metrificação ou versificação. A noção de metro pertence à língua, encarada como sistema, enquanto a noção de verso propriamente dito pertence ao discurso  poético. O verso, portanto, é o resultado da realização de um metro. Daí a definição de verso como uma sílaba ou sucessão de sílabas sujeitas a medida e a ritmo pré-estabelecidos. Por medida, entende-se um determinado número de sílabas métricas ou poéticas; e, por ritmo, o resultado de uma  distribuição cadenciada e harmonia de acentos intensivos (também chamados acentos tónicos) no verso, de tal forma que a sensação rítmica se percebe pelo retorno da sílaba tónica, após intervalos regulares. A métrica (ou versificação) estuda, entre outros elementos, a contagem silábica dos versos, dando especial atenção aos encontros vocálicos intervocabulares; os tipos de verso, em geral de uma a doze sílabas; o ritmo de cada verso e a variedade rítmica dentro do verso; a estrofe e sua estruturação; a rima em suas diferentes e determinadas formas; e  o elenco de poemas de forma fixa.

Bibliografia

BIB.: Celso Cunha, Língua e verso, Rio de Janeiro, 1964: Leodegário A. de Azevedo Filho, A técnica do verso em português, Rio de Janeiro, 1971; M. Cavalcânti Proença, Ritmo e poesia, Rio de Janeiro, 1955; M. Said Ali, Versificação portuguesa, Rio de Janeiro, 1948; Mello Nóbrega, Rima e poesia, Rio de Janeiro, 1965; Murillo Aráujo, A arte do poeta, 2. ed., Rio de Janeiro, 1956.